domingo, 10 de junho de 2007

O Deus Negro e O Padre Vermelho

Alfredo da Rocha Vianna Jr. "Pixinguinha", considerado o pai da música brasileira.
Antônio Lúcio Vivaldi "Padre Ruivo", gênio da música européia.


Ambos tinham um furor, uma ânsia de compor raramente igualada em toda a história da música. Eles sempre optaram por formas claras e estruturas simples para construir sua obra, em busca do coração do ouvinte.

Os dois começaram a estudar música muito cedo.

Pixinguinha, aos nove anos, já tocava cavaquinho. O pai era flautista, e foi a flauta que despertou em Pixinguinha a paixão pela música.

Barbeiro e fabricante de perucas, o pai de Vivaldi era também violinista. Com a mesma idade de Pixinguinha, Vivaldi já brilhava na Capela Ducal de Veneza, seguindo os passos paternos com seu violino. O menino foi encaminhado ao sacerdócio; o pai sabia que, sob a proteção da igreja, Antônio teria trânsito livre no meio musical de Veneza.Assim, aos 25 anos, Vivaldi foi ordenado, ganhando o apelido Prete Rosso, ou Padre Ruivo.
Pixinguinha foi um apelido dado pela avó, de origem africana. Ela o chamava de Pizindim, que significa “menino bom”. Prodígio, logo começou a tocar em bares e choperias, causando forte impressão no público que ouvia atento os improvisos e floreados executados pelo pequeno flautista. Aos dezoito anos, Pixinguinha grava sua primeira composição e, como Vivaldi, floreia sua primavera com A Rosa.
No início do século dezoito, Vivaldi ganha fama internacional, fazendo viagens pela Europa e publicando suas obras. Reis e Rainhas se curvam diante de sua genialidade.
Pixinguinha, no início do século vinte, é convidado para uma turnê também pela Europa com seu grupo “Os Oito Batutas”. Lá entra em contato com a moderna música européia e com o jazz americano, que estava na moda em Paris, e é homenageado pelo Instituto de Música da França. O mundo começava a reconhecer a qualidade do jovem compositor. A viagem acabou durando seis meses e influenciou o músico que, como Vivaldi, gostava de experimentar.


Com Vivaldi, o violino adquire grande força e densidade orquestral, ganhando importância nunca antes alcançada. Foi assim que surgiram os Concertos para Solo de Violino
A principal característica da obra de Vivaldi foi o Concerto. Além das dezenas de Sonatas, Árias, Óperas, etc..., ele escreveu 456 concertos, fora os que se perderam, transformando toda sua fantasia e imaginação em música.

Pixinguinha foi o rei do Chorinho, um verdadeiro mestre do gênero que até hoje mantém um público fiel.
Alfredo Pixinguinha e Antônio Vivaldi deixaram um legado musical marcado pela ousadia, experimentalismo e um conceito revolucionário.

=
Sinfonia Fina

2 comentários:

Carlos disse...

Uma combinação perfeita para uma segunda- feira
uma terça feira, quarta - feira, quinta, sexta, sábado, domingo.Combinação essa, para todos os dias...

Carlos

Valeria disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.